Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 12 de março de 2010

Entrevista ao Meusparentes.com

Esta é a entrevista que dei ao blog do meusparentes.com.br em 16/11/2009, referente à pesquisa que fiz sobre a genealogia da Família Campani:
Josef Michael Campani, meu bisavô
Redação – Raul, você tem um site que trata da árvore genealógica da sua família. Gostaria de saber: quando e como você começou a se interessar por genealogia?

Raul Campani: Um dia eu fui até a casa do meu pai e ele me mostrou a árvore genealógica da nossa família, com os primeiros imigrantes, que vieram da Áustria ao Brasil. Ainda não tinha muita coisa, mas o esqueleto já estava mais ou menos montado. Esta árvore, montada pelo meu tio, irmão do meu pai, foi apresentada no primeiro Encontro da Família Campani, em Pareci Novo (mas vou voltar a este assunto depois). Depois disso eu fiquei muito empolgado, pedi para o meu pai para levar aquela cópia que ele tinha e comecei a pesquisar mais sobre isso. Minha pesquisa foi baseada principalmente através da internet, com contatos de parentes. Criei uma comunidade da Família Campani no orkut e a partir daí comecei a procurar pessoas com o sobrenome Campani naquele site de relacionamento, hoje temos 127 membros naquela comunidade.


Redação: Que legal, então a família toda está envolvida?
Raul: Algumas pessoas sim. Tem um parente nosso, o Carlos Antonio Campani, que mora em Pareci Novo/RS que tem promovido estes encontros. Em outubro do ano passado fizemos o III Encontro dos Descendentes de Ludwig Campani, temos até camiseta do encontro.
Redação: Desde este primeiro encontro com sua árvore genealógica e agora quanto tempo se passou?
Raul: Agora você me pegou, não tenho certeza, talvez tenha uns 6 anos. A comunidade foi criada em outubro de 2004, então são no mínimo 5 anos. A partir daí, fui entrando em contato com as pessoas, convidando-as para participar da comunidade, adicionando-as como amigos, adicionando no msn, e-mail, pedia dados de seus parentes mais próximos, pais, filhos, primos, etc. Interessante que a maioria das pessoas que eu encontrava no site tinha uma ligação com a minha árvore. Com alguns custei muito para conseguir ligar à árvore, mas a maioria tem ligação. No entanto, alguns não estão ligados à ela, pois tem outro(s) ramo(s) da família Campani, cujos antepassados vieram da Europa em outra época. Mas que eu saiba a maioria é descendente de Ludwig Campani, principalmente os do Rio Grande do Sul.
Redação: Gostaria de saber alguns números: quantas gerações estão retratadas, quantos sobrenomes, qual foi o parente mais antigo que conseguiu descobrir e quantas pessoas te ajudam nesta empreitada?
Raul: No meu ramo da família são 6 gerações, porém tem outros ramos dos descendentes de Ludwig Campani, que é o parente mais antigo que descobrimos, que chegaram à 7ª geração. São 3 pessoas que mais se envolveram nesse assunto: o meu tio Kurt, irmão do meu pai, o Carlos Antonio e eu. Esse meu tio inclusive fez uma árvore também e pesquisou também algumas coisas, foi nos túmulos de alguns antepassados nossos. Quanto aos sobrenomes envolvidos, a princípio a pesquisa é baseada na família Campani, porém tem muitos outros sobrenomes que entraram por sua ligação com a família.
Redação: Quais são as maiores dificuldades na pesquisa genealógica? Aconteceu algum caso em especial que pudesse relatar?
Raul: Tive uma certa dificuldade em encontrar a ligação de algumas pessoas com quem eu falava com a árvore genealógica, mas à medida em que a árvore ia aumentando, e eu conseguindo mais informações das pessoas, esses elos foram se unindo. Temos algumas dúvidas ainda. Um parente nosso, o Dante Campani, tinha um documento com o nome de um antepassado dele que não fechava com o que nós tinhamos, mas a maioria dos dados foram fechando, algumas coisas foram alteradas naquele esqueleto que nós tinhamos no início, pois uns de nossos antepassados teve duas mulheres e filhos com as duas e a informação que tinha lá era só com uma. As informações iniciais para a pesquisa foram através da certidão de batismo dos filhos de Ludwig Campani e da Licença para Emigração (de 1868).
Redação: Qual foi a sua maior vitória durante sua pesquisa genealógica?
Raul: Uma coisa interessante que aconteceu foi que uma filha de um Campani, que teve filhos com mais de uma mulher, obteve contato com os seus irmãos por parte de pai. Seus irmão sabiam que ele tinha tido um filho fora do seu casamento oficial e estavam procurando esta pessoa.Uma vitória para mim foi que no último encontro da família eu fui reconhecido pela minha pesquisa, pediram para que eu falasse sobre isso, na verdade eu nem pensava em falar alguma coisa, eu nem tenho muita facilidade para falar em público para muitas pessoas ao mesmo tempo, mas foi bem legal. Quando cheguei no encontro fixei a árvore genealógica que eu havia imprimido, nas paredes do local, com os galhos separados em folhas com cores diferentes umas das outras. Ao chegarmos lá cada um pegava um crachá, onde colocava o nome do seu antepassado (que seria um dos filhos de Ludwig Campani) com a cor correspondente, isso, aliás, foi idéia do Carlos Antonio.
Redação: Vocês já fizeram 3 Encontros com a família toda? Quantas pessoas participaram? Já têm um próximo planejado?
Raul: Sim. Na verdade nunca dá para ir toda a família. No último encontro não foi muita gente, eu não tenho a quantidade exata, mais ou menos umas 60 pessoas. Por enquanto não temos nada planejado, eu até pensei em fazer aqui em Porto Alegre, pois tem muito Campani aqui na capital, mas tudo isso envolve tempo, que nem sempre a gente tem.
Redação: Qual é o seu parentesco com Ludwig Campani? Você teve alguma dificuldade com mudança de grafia? Ou o nome Campani sempre foi escrito assim?
Raul: É o pai do meu bisavô. Olha, entre os Campani, descendentes do meu trisavô, que eu saiba não teve esse problema, porém eu soube que uns Campani descendentes de outra pessoa acabaram ficando com o sobrenome Campany, devido a um erro em um cartório.
Redação: Quais são seus planos para o futuro? Pretende ir além de Ludwig Campani?
Raul:  Uma coisa que eu sempre tive vontade de pesquisar é justamente aquela época em que Ludwig veio pra cá com seus filhos, qual motivo que lhe levou a sair da Europa, por que que eles estavam em Innsbruck, no Tirol Austríaco, se a maioria dos Campani na Europa são da Itália e talvez sim pesquisar mais sobre os antepassados deles. Pretendo pesquisar mais dados sobre os antepassados também, para deixar a árvore o mais completa possível. Pensei em conseguir minha cidadania Austríaca, mas ainda não vi nada sobre isso.
Redação: Que dica você poderia oferecer aos genealogistas amadores, que estão começando agora?
Raul: Na verdade eu também sou amador, pois a pesquisa que eu fiz foi muito informal, através de contato com pessoas no boca a boca, claro tem a base da árvore que foi montada através de documentos. Mas eu aconselharia as pessoas interessadas que sejam persistentes. Tem que dar uma de detetive, furungar, ir atrás, é uma satisfação muito grande ver depois o trabalho que você fez, conhecer pessoas que você nunca tinha visto na vida que estão ligadas a você pelo sangue, pessoas que você tinha ouvido falar, que alguns perguntavam: Você é parente do Fulano de Tal? Pois tem alguns parentes que são mais conhecidos e aí você descobre qual a ligação que você tem com ele, mesmo que seja distante, mas é uma ligação. Assim eu levo como conclusão do meu trabalho que todos viemos de uma mesma origem, estamos todos ligados de alguma maneira.
Raul Campani é bancário e artista plástico e genealogista entusiasmado nas horas vagas. Ele tem uma comunidade no orkut para encontrar parentes da família Campani e um site: http://campani.vilabol.uol.com.br/

Bookmark e Compartilhe
Posto em Entrevistas

6 Respostas

Rodrigo Campani no dia 18. 11. 2009 à 12:47

muito bom o trabalho do Raul, ainda não o conheco mas quem sabe em um próximo encontro da familia eu possa me programar e ir,
oque mais mem chamou a atenção em toda a pesquiza foram as qualidades das fotos,
muito interessante ver o rostos de nossos antepassados, mostrei a minha mãe a foto de meu bisavo Sebastian Campani ou sera tétaravo ? não lembro agora ela
disse que é minha cara auhuhauh
abraços e onde esta a arvore da familia Campani aqui no site?

Raul Fernando Campani no dia 18. 11. 2009 à 01:21

Olá Rodrigo, obrigado pelo comentário. Quanto à árvore, o que está publicado encontra-se no site http://campani.vilabol.uol.com.br/ por enquanto não está em forma de uma árvore propriamente dita, ou de uma tabela, talvez mais adiante eu publique alguma coisa desse tipo, quem sabe aqui mesmo, mas lá encontram-se exatamente as ligações entre as pessoas, seus antepassados, descendentes, como você já deve ter visto, pois viu o seu antepassado Sebastian. Afinal, você é o Rodrigo, filho do Ladislau Roni ou é o filho do Fernando?

Mara no dia 18. 11. 2009 à 07:28

Acho muito legal a tua dedicação, meu irmão, a este trabalho. Vai em frente que ainda podes descobrir muita coisa interessante

Dante Campani no dia 19. 11. 2009 à 01:27

Sem dúvida Carlos Antonio, Kurt e Raul realizam um trabalho admirável que deve ser reconhecido e elogiado por toda a grande família Campani. Destaco em especial o trabalho desenvolvido pelo Raul no último encontro com a colocação da árvore genealógica em cores que ajudou em muito a nossa localização dentro da família. Parabéns aos tres e contem comigo naquilo que eu puder ajudar. Abraços.

Redação no dia 24. 11. 2009 à 09:57

Rodrigo e toda família Campani, se vocês quiserem podem fazer um upload de um arquivo GEDCOM, de sua árvore, e gerenciá-la através do nosso site. Se tiverem dúvidas de como fazê-lo é só perguntar!

Paulo Aloizio Campani no dia 18. 02. 2010 à 02:56

Balneário Camboriú, 17/02/2010.
Olá primo(????)
Minha mulher descobriu o seu trabalho através do site My Heritage, navegando no site dos antepassados dela ( família Maurisi ou Maurici, como se escreve aqui no Brasil), que também vieram da Itália (fronteira com a Áustria( Tirol – Alto Adige).
Ficamos muito felizes em saber que alguém está procurando reunir os parentes. Meu pai (Guilherme Alois Campani), se ainda fosse vivo, ficaria muito satisfeito em poder partilhar desse seu trabalho, pois ele nos deixou fotos da Alemanha ( ou talvez da Áustria???) que pertenciam ao meu avô(Sebastião). Ele sempre guardou-as com muito carinho. São fotos de cidades. Não aparecem pessoas.
Parabéns pelo trabalho.
Paulo Aloizio

Sobre o autor: Raul Campani é artista plástico pós-graduado em Gestão Cultural. Flerta com a música, gosta de filosofia, aficionado em genealogia e trabalha como economiário.YouTube|Facebook|Instagram

Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. ROSANGELA RGINA REIS ROLDAO28 de março de 2010 20:05

    OLÁ.MUITO BOM TEXTO.TAMBEM GOSTEI MUITO DAS PINTURAS.PARABÉNS, VOCE JA NASCEU ARTISTA.
    CONTINUE ASSIM.
    ABRAÇOS
    ROSANGELA

    ResponderExcluir