Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

A Rapidez Atual e a Necessidade de Calma

Vivemos em um mundo onde as coisas acontecem cada vez mais rápido e a gente não consegue acompanhar tudo, às vezes é preciso ter um pouco de paciência, pois nem tudo está ao nosso alcance.

Necessitamos de um tempo para ficarmos sossegados e em paz. Não é fácil, em uma época em que seguidamente estamos plugados na internet, onde as informações voam e os “amigos” são virtuais.



Em geral, as coisas são rasas e sem profundidade, é tudo tão superficial, as pessoas não param mais para refletir o que está acontecendo com elas e ao seu redor.


Interrupção, incoerência, surpresa são as condições comuns de nossa vida. Elas se tornaram mesmo necessidades reais para muitas pessoas, cujas mentes deixaram de ser alimentadas ... por outra coisa que não mudanças repentinas e estímulos constantemente renovados ... Não podemos mais tolerar o que dura. Não sabemos mais fazer com que o tédio dê frutos.
Assim, toda a questão se reduz a isto: pode a mente humana dominar o que a mente humana criou?
Paul Valéry

Este é o mundo do “fast”, é tudo muito ligeiro, eu acho que nosso cérebro ainda não está preparado para isso e nem sei se algum dia estará.


Mas sempre dá para arrumar um tempo para si. Vamos parar um pouco para pensar, sentir e ser.

A nossa passagem aqui é curta, cada momento é importante, então é necessário curtir cada coisa e saber captar a sua essência, pois, como diz a música de Lenine, a vida é tão rara.




Sobre o autor: Raul Campani é artista plástico pós-graduado em Gestão Cultural. Flerta com a música, gosta de filosofia, aficionado em genealogia e trabalha como economiário.YouTube|Facebook|Instagram

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Vivemos tempos de excesso de informação, de actividades. O estar só e encontrarmo-nos connosco é cada vez mais raro e visto duma forma depreciativa. Lamento, tanto que se perde.

    Bela reflexão!

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. É verdade, o ócio é visto como vagabundagem, mas as pessoas se esquecem que é muitas vezes nestas situações de reflexão que surgem as grandes idéias e os sentimentos de mudança.
    Obrigado pela visita, Pérola!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Raul,
    Esta sua postagem cai às mil maravilhas. Estou a terminar um projeto que demorou 5 anos e oito meses a concretizar-se.
    O tempo breve e o tempo longo duas dinâmicas difíceis de apreender por vezes.
    Aprofundar é o lema certo mas nem sempre é fácil.
    Contudo, é interessante a incoerência que se provoca no simples ato de viver.
    Boa tarde e obrigada pela visita que produziu esta partilha. :)

    ResponderExcluir
  4. Olá Raul!!!

    Verdade, às vezes parece que se está ligado na tomata a 220 por hora. Paciência está em falta mesmo, é preciso calma também para seguir sempre em frente. Esta música do Lenine é muito bonita.
    Boa semana!!!
    Bjs :)

    ResponderExcluir