Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 17 de março de 2014

Ilha do Campeche, Patrimônio Arqueológico e Paisagístico

Depois de um tempo afastado, sem publicar aqui no blog, quero mostrar a vocês um lugar magnífico que conheci em Santa Catarina durante as minhas férias: A Ilha do Campeche, lugar paradisíaco, com águas transparentes e mar calmo, localizada na costa sudeste de Florianópolis.

Como penso que o patrimônio natural deve ser preservado tanto quanto o patrimônio cultural, trago aqui um exemplo de trabalho que está sendo feito para preservar tanto a beleza natural de um lugar quanto os vestígios arqueológicos deixados pelo ser humano naquele espaço. Claro que, neste caso se faz algo para minimizar os efeitos do homem no ambiente em questão, pois as pessoas continuam visitando o local, porém por todos os lados da única praia existente, o pessoal do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) cuida para que ninguém entre na mata sem autorização, só se pode passar pelas trilhas com assessoramento e existe um limite máximo de pessoas que podem ficar ao mesmo tempo na ilha. Desde 1940, o lugar está sob concessão de uso pela Associação Couto Magalhães, que também é responsável pela sua preservação.

Sítio Arqueológico da Ilha do Campeche.
A ilha tem um patrimônio cultural muito importante, pois o homem deixou lá os seus rastros a muito tempo atrás, através de inscrições rupestres. Os pesquisadores já catalogaram mais de 100 petróglifos nos vários sítios arqueológicos distribuídos por toda a ilha (em geral são desenhos geométricos e/ou tem formas humanas e de animais), além de nove estações líticas, monumentos rochosos e sambaquis. Segundo estudiosos, o local possui sozinho mais inscrições rupestres que a Ilha de Santa Catarina, a Ilha do Arvoredo e as Ilha das Aranhas, todas juntas. Por isso, a Ilha foi tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional em 19 de junho de 2000 pelo IPHAN.

Para visitar a ilha, peguei um barco partindo da praia da Armação, onde levam os visitantes por meio de embarcações de pescadores artesanais (Associação de Pescadores da Armação do Pântano do Sul), o caminho até a ilha demora em torno de 30 minutos e dá para ficar lá durante 4 horas, mas também pode-se ir através de botes infláveis da praia do Campeche ou escunas da Barra da Lagoa, entretanto eu soube que a tarifa mais barata para chegar até lá é pela Armação. Porém é bom lembrar que é preciso levar dinheiro vivo, pois não é aceito nenhum cartão, nem no embarque, nem nos dois restaurantes existentes na ilha e a mesma coisa vale para quem for fazer as trilhas aquáticas e/ou terrestres.




Sobre o autor: Raul Campani é artista plástico pós-graduado em Gestão Cultural. Flerta com a música, gosta de filosofia, aficionado em genealogia e trabalha como economiário.YouTube|Facebook|Instagram

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Puxa, deve ser maravilhoso esse lugar! Sempre vou pra SC mas não fui até lá ainda! Adorei ver! Saudades do mar! abraço,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente muito bonito esse lugar, fazia tempo que eu não via uma água tão transparente no mar. É um passeio que vale a pena, as poucas horas que fiquei lá foram inesquecíveis!
      Obrigado pela visita e comentário, volte sempre!

      Excluir
  2. Oi Raul!!!

    Que bacana seu post!!! Muito lindo mesmo este lugar. Eu conheço a ilha do Campeche, tanto o passeio de barco quanto as caminhadas por lá são incríveis, eu costumo ir muito e amo tudo por lá. O contato com a natureza, o mar, os passáros e o ar puro é algo que faz um bem inigualável. Sem dúvida, perfeito!!! Pena que a maior parte do ano no Sul é frio então para aproveitar mesmo só no verão porque no inverno só dá para apreciar o mar de longe por causa do frio.

    Bjs :)

    ResponderExcluir